AffonsoRitter.com.br
 
 
Última atualização às:
10:32 - 26/05/2020
Página principal com destaques Destaques
Confira todas as notícias Notícias
Confira nossa NewsLetter NewsLetter
Saiba quem é Affonso Ritter Quem é ?
Entre em contato Contato
Seção Empreendedores Empreendedores
Seção Amantes do Vinho Amantes do Vinho
Dicas de Links Dicas de links
 
BRDE
Banrisul - Digital
GBOEX
Intelig?ncia em Tecnologia da Informa??
 
 
 
Coronavírus morre no vinho?

Em comunicado do seu presidente Santiago Jordi Martín, divulgado segunda-feira passada (23), a Federação Espanhola de Enologia declarou - na sequência das múltiplas questões que lhe foram endereçadas acerca da eventual contaminação do vinho e seus recipientes pelo Covid-19 - que se reuniu com uma série de especialistas da comunidade médica e de associações internacionais de enólogos, concluindo que "a sobrevivência do coronavírus no vinho parece impossível porque a combinação concomitante da presença de álcool, um ambiente hipotónico [o que em Química significa que se trata de um líquido em que a concentração do soluto é menor que a concentração do solvente] e a presença de polifenóis [substâncias naturais antioxidantes que se encontram em abundância nos taninos do vinho] impedem a vida e a multiplicação do próprio vírus". A possibilidade de contaminação de garrafas e embalagens "parece ser muito remota, se não inexistente, tendo em vista a curta vida do vírus e a ausência de um hóspede vivo 'biológico' positivo". Por último, em relação ao consumo de vinho e a sua relação com a doença, uma das dúvidas mais debatidas, a Federação assegura que "o consumo moderado de vinho, desde que levado a cabo de forma responsável, pode contribuir para uma melhor higiene da cavidade bucal e da faringe, onde é comum o vírus alojar-se numa eventual infecção". Estas considerações vão ao encontro de um estudo levado a cabo por cientistas da Universidade de Washington, que remonta a 2017, quando foi publicado pela conceituada revista Science, de que os flavonoides (compostos fenólicos de origem vegetal com propriedades antioxidantes) presentes no vinho, especialmente tinto, "poderiam deter o avanço da gripe (igualmente de origem viral) e limitar os seus sintomas", sendo portanto adequado na profilaxia do vírus em pessoas saudáveis e sem patologias prévias.

Incluída em: 27/03/2020 - 12:29

VoltarVoltar

 
  21:50 - Mais 807 mortes em 24 horas
  19:27 - Reforma tributária em pauta
  19:17 - Bella Città reabre suas portas
  19:11 - Leite paga dívida herdada
  19:06 - Marcopolo fatura 2,3% mais
  18:55 - A TIM reabre lojas próprias
  18:45 - O auxílio chega a 59 milhões
  18:39 - Falta um plano de reabertura
  18:34 - Exame de Tóffoli dá negativo
  18:28 - A confiança do consumidor